Este blog descreve momentos da vida da banda de rock "Os Tubarões", de Viseu, Portugal entre 1963 e 1968. This blog describes rock band moments of life "Os Tubaroes", Viseu, Portugal between 1963 and 1968.
04 de Maio de 2014

Com o apoio das fotos do Fotógrafo José Alfredo reproduzimos alguns momentos da evocação dos 50 anos da estreia de "Os Tubarões" no Clube de Viseu no dia 26 de Abril de 2014:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  

 

 

 

 

 

  

 

 

 

 

 

porep

publicado por os tubaroes, Viseu às 04:43
 O que é? | | favorito
30 de Março de 2012

 

publicado por os tubaroes, Viseu às 15:26
 O que é? | | favorito
01 de Março de 2012

A LER DEVAGAR em Lisboa, na LX FACTORY, foi palco da apresentação do livro porViseu'60s no dia 29/2. Com lotação esgotada aqui fica o olhar de HOMEM CARDOSO, S.Pedrense convicto que fez questão de estar presente e declarou: " Os Tubarões são a grande referencia da minha geração e todos nós vos devemos essa glória que foi ver o "interior" entrar pela porta grande das salas a beira mar plantadas onde vos vi e ouvi com muita emoção."

 

 

 
 
 
 
  
 
 
 
 
 
 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
publicado por os tubaroes, Viseu às 19:29
 O que é? | | favorito
11 de Fevereiro de 2012

Convite para a apresentação do Livro porViseu'60s na Livraria Ler Devagar a 29/2 às 18H30:

 

 

 

 Uma sessão muito divertida numa das mais bonitas Livrarias do Mundo, em Lisboa na LX FACTORY em Alcântara, Rua Rodrigues de Faria, 103, 1300 Lisboa.

 

 

Como chegar:

 

Da Av. De Ceuta em direcção a Alcântara, passe o Largo de Alcântara em direcção ao rio (Rua João de Oliveira Miguéns), vire à direita na rua dos eléctricos (R.Fradesso da Silveira) até ao Largo das Fontainhas, vire à esquerda para a Rua Rodrigues de Faria, até ao fim da Rua e entre.

Está num mundo novo de Arte, Design e Moda:

A LX FACTORY : “Data de 1848, que a Companhia de fiação e Tecidos Lisbonense, um dos mais importantes complexos fabris de Lisboa se instala em Alcântara. Esta área industrial de 23.000 m2 foi nos anos subsequentes, ocupada pela Companhia Industrial de Portugal e Colónias, tipografia Anuário Comercial de Portugal e Gráfica Mirandela.

 

A LX FACTORY é uma ilha criativa ocupada por empresas e profissionais da indústria também tem sido cenário de um diverso leque de acontecimentos nas áreas da moda, publicidade, comunicação, multimédia, arte, arquitectura, música, etc. gerando uma dinâmica que tem atraído inúmeros visitantes a re-descobrir esta zona de Alcântara.”

 

Assista à apresentação do livro porViseu'60s e venha conhecer a LER DEVAGAR, telefone 213 259 992, mail: mail@lerdevagar.com, recentemente considerada uma das 20 mais bonitas Livrarias do Mundo.

publicado por os tubaroes, Viseu às 15:08
 O que é? | | favorito
06 de Fevereiro de 2012

Salão cheio na Casa da Beira Alta. 

 

Pois foi no sábado passado, 4 de Fevereiro pelas 16H00, com o salão da Casa da Beira Alta esgotado, que Fernanda Braga da Cruz, Presidente da Direcção, abriu a sessão apresentando os membros da Mesa: Almiro de Oliveira, Professor Universitário, António Moniz, Presidente da A.Geral da Casa da Beira Alta, Fernando Ruas, Presidente da C.M.Viseu e Eduardo Pinto o autor do livro porViseu’60s. Após as boas vindas e os agradecimentos, Fernanda Braga da Cruz salientou algumas das actividades da Casa da Beira Alta que tanto tem dinamizado, dando a palavra a Almiro de Oliveira, viseense, convidado a fazer a apresentação do livro.

 

Almiro de Oliveira guiou com segurança e mestria o público pelo Viseu dos anos 60 com descrições, imagens, pormenores e curiosidades dos seus tempos de estudante, relembrou pessoas e lugares, episódios pitorescos e não deixou sequer de brindar a assistência com um célebre poema dedicado a Camões, da autoria de um “conhecido anónimo”, a quando da colocação da sua estátua num canto recôndito do Parque da Cidade: ” Que fazes aqui Camões, Homem de tão grande valor? - Estou a apanhar bolotas, para os grandes idiotas, que aqui me vieram pôr”.

Almiro de Oliveira deu assim, com elegância, o tom que pautou toda a restante sessão.

 

Eduardo Pinto, agradecendo o convite e a presença de todos, expôs as razões que o levaram à aventura da escrita, assente na profunda amizade que une os membros do Conjunto desde a sua infância. Salientou o quanto todos se sentem ligados à cidade de Viseu onde se reunem com regularidade relembrando as aventuras vividas, que foram a verdadeira fonte inspiradora para a elaboração do livro com a descrição da carreira musical que partilharam antecedida de um enquadramento do modus vivendi da época numa cidade do interior.

 

Fernando Ruas falou de Viseu, como não poderia deixar de ser. Do passado ao presente enalteceu o estado actual da cidade que já ultrapassou os 100 mil habitantes, a 2ªcidade do País com a população mais jovem, a qualidade de vida, o ambiente e o crescimento urbano controlado que tem atraído e fixado população oriunda de outros pontos do País, sem se esquecer de referir que em Viseu não há “sem abrigo” e os Seniores não são esquecidos pois tem programas específicos que lhes são dedicados.

 

E a assistência quis participar.

Com a surpresa de todos Camilo Costa, filho do Maestro Mário Costa que tanto dinamizou a vertente musical da cidade nos anos 50 e 60, tomou a palavra relembrando de forma emotiva a sua vivência de viseense terminando com uma declamação cantada de um poema seu. 

 

 

 

 

 

 

Ilda Marques, membro da Direcção, com o seu exemplar do livro devidamente anotado, numa contagiante e afectuosa emoção, relembrou inúmeros episódios da vida estudantil e musical da juventude da época provocando saudáveis sorrisos, gargalhadas e algumas lágrimas nalguns dos presentes.

 E outros elementos tomaram a palavra num ambiente muito cordial onde os afectos, as boas memórias de tão bons tempos pulgaram pelo salão. 

 

 

  

 

 

 

 

 

Antes do encerrar da sessão vários elementos da Direcção da Casa da Beira Alta presentearam a assistência com a récita do Poema do Homem Rã de António Gedeão musicado pelos Tubarões e o João Gomes brilhou com uma dança ao som da música dos Tubarões. 

 

A sessão encerrou com todos os presentes a cantarem em coro o hino "Viseu, Senhora da Beira".

A Casa da Beira Alta ofereceu um Porto de Honra aos presentes que se mantiveram em alegre convívio até a noite chegar.

 

 

 

 

publicado por os tubaroes, Viseu às 22:12
 O que é? | | favorito
07 de Janeiro de 2012

 

               

SÁBADO, 4 de Fevereiro, pelas 16H00 na Casa da Beira Alta, Rua de Santa Catarina, 147 1º (frente Café Majestic) FERNANDO RUAS e ALMIRO de OLIVEIRA, dois ilustres Beirões, falarão de VISEU e contarão algumas das estórias que o povo comentava, enquanto esperava pelas últimas, em frente ao Café LUCIANO. Apareça que se irá distrair e divertir.

 

VISITE DAQUI A CASA DA BEIRA ALTA
Rua de Santa Catarina, 147, 1º, (Santo Ildefonso). 222 052 838, 4000-450 PORTO.

 

 

 

       " Iniciando a viagem pelos anos finais da década de 50 o autor retrata os hábitos de um Portugal interior em que a onda média radiofónica era o grande veículo comunicacional com as radionovelas do Teatro Tide, os relatos do Hoquei em Patins, os Serões para Trabalhadores da Emissora Nacional, o aparecimento da televisão e como as populações do interior começaram a ver tv.

A primeira parte do livro é dedicada à cidade de Viseu descrevendo as principais ruas da cidade, lugares como os cafés e a sua importância enquanto locais de encontro das pessoas com interesses comuns, a feira franca e o salão de chá dos Bombeiros Voluntários, a importância social e cultural de Instituições como o Instituto Liberal, o Orfeão e o Clube de Viseu.

É salientada a importância dos bailes como diversão mais frequente em todo o País e o seu papel na emancipação feminina. Descrevem-se os hábitos da juventude e o despontar de uma nova geração educada nas dificuldades do pós guerra, a iniciação sexual dos rapazes, o aparecimento dos discos de vinil, gira-discos, os grupos e clubes de garagem até aos bailes de gravata. E a chegada do 1º disco dos Beatles !

Na segunda parte do livro relata-se o nascimento e evolução da música pop em Portugal: os concursos, os conjuntos e os bailes de finalistas. Quanto aos Tubarões, único conjunto da província finalista do Grande Concurso IÉ-IÉ organizado pelo Movimento Nacional Feminino, Embaixadores de Viseu, conjunto privativo do Casino da Figueira, contam-se as suas aventuras, evolução musical e instrumental, os palcos que pisaram, todos os conjuntos com quem se cruzaram, a playlist, os instrumentos, quem foi quem e também os seus encontros com grandes Artistas como Amália, Simone de Oliveira, Nicolau Breyner, Duo Dinâmico, Juan Manuel Serrat, Shegundo Galarza entre muitos outros.

 

O livro é enriquecido com depoimentos de pessoas que viveram alguns dos episódios relatados como Manuel Maria Carrilho, Rui Oliveira e Costa, Serafim Matos Silva, António Valarinho, Jorge Marques, entre outros.

Ao longo das suas 192 páginas e em complemento ao texto são disponibilizados apontadores para sítios na internet onde o leitor poderá saber mais sobre a temática referida naquela página. O livro é enriquecido com mais de 200 fotos, alguns originais da época e documentos inéditos que dão suporte a toda a narrativa."

  

O CAFÉ LUCIANO
 
 
publicado por os tubaroes, Viseu às 09:33
 O que é? | | favorito
Os Tubarões em livro: porViseu'60s.
Ler livro aqui
Abril 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
19
20
21
22
23
24
26
27
28
29
30
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últimos comentários
Que memórias boas!
Isabel Corujão favor envie e-mail de contacto pois...
Ficava muito grata se me dispensasse esses materia...
Temos fotos originais e texto da peça. Tentaremos ...
Vi com muito interesse este post e fiquei com curi...
Cornélio,Obrigado e um abraço,Eduardo pinto
Eduardo, parabéns pelo trabalho de pesquisa! Muito...
ja tenho o livro que comprei na FOTO GERMANO..está...
Eduardo vou com certeza partilhar a tua obra, pare...
O livro será posto à venda a 26 de Setembro de 201...
blogs SAPO